RECUPERAÇÃO

O dependente de drogas e/ou álcool se concentra somente em si mesmo. Portanto não vê nenhum propósito na vida, nenhuma razão para viver, a não ser que a substância de escolha esteja presente, porque ela sim é sua “amiga”, traz força, nada fala mas sempre motiva a continuar vivendo, claro que em um mundo particular, cheio de insanidade.

Agora quando a sua “amiga” de todas as horas (álcool e drogas) não está presente, o dependente parece não conseguir nem pensar, tamanho o desespero, a solidão e a insignificância que está sua vida. Está portanto se sentindo no inferno! Não encontra paz ou felicidade em parte alguma…

O dependente de álcool e/ou drogas se ilude a respeito de sua condição e nega a realidade, não admite e acha que consegue controlar o uso. Justifica seus comportamentos insanos, negando a realidade e a causa do comportamento. É preciso escolher a mudança e buscar ajuda para efetivá-la. Não resolve olhar o passado para achar um culpado. Deve-se pensar no futuro! Não existem culpados pela situação, existe é responsabilidade para a solução.

Estar em recuperação não significa estar apenas abstêmio, ou seja, sem o uso de drogas e/ou álcool, e sim, somado a isso faz-se necessário a mudança de comportamento consigo e com o meio em que vive. Visar só à libertação física (deixar de usar as drogas e/ou álcool) o dependente corre o risco de nas adversidades naturais da vida recorrer à “mesma solução”, que é voltar ao uso.

A RECUPERAÇÃO é um processo que requer muita paciência e persistência tanto dos familiares como do Dependente Químico. Contudo, com um tratamento adequado é possível estacionar a doença, eventuais comorbidades e vivenciar a RECUPERAÇÃO com qualidade de vida e desfrutar dos benefícios que ela oferece.

familia Comunidade Terapêutica Um Novo Recomeço